8 de agosto de 2020
  • Gastronomia.com España
  • Gastronomia.com México
  • Gastronomia.com Perú
  • Gastronomia.com Colombia
  • Gastronomia.com Paraguay
  • Gastronomia.com Argentina
  • Gastronomia.com Ecuador
  • Gastronomia.com Portugal
  • Gastronomia.com USA
Siga-nos no  

29 de dezembro de 2015
Avaliação  (0)
Quais são os hábitos alimentares dos jovens?
FacebookTwitterGoogle PlusLinkedin
De acordo com especialistas, a energia do organismo influencia diretamente no desenvolvimento da competência humana. Justamente para investigar os hábitos alimentícios de nossa população jovem, o Nube – Núcleo Brasileiro de Estágios perguntou: Qual seu estilo de vida? O resultado apresenta dados curiosos.
 
Realizado entre 30 de novembro e 11 de dezembro, o estudo abrange a opinião de 11.109 estudantes, com idade media de 15 a 26 anos. Na quinta e última posição, apenas 0,5% (59 participantes) se declararam “Veganos” (rejeitam quaisquer itens de origem animal, seja na alimentação, cosméticos, roupas, etc). Em sequência, na quarta colocação, 1,8% (195 consultados) são adeptos do Ovolactovegetarianismo (não comem carne, mas incluem ovos e laticínios na dieta). “Por serem classificações recentes do campo nutricional, é esperado não termos grande adesão aos segmentos ainda pouco compreendidos pela sociedade”, comenta a coordenadora de treinamento do Nube, Eva Buscoff.
 
Na mesma linha das alternativas supracitadas, “Sou vegetariano” alcançou 2,7% (295) e “Não como carne vermelha” somou 3,4% (375 respondentes). A primeira colocada, com ampla vantagem, foi a opção “Como de tudo”, com 91,7% (10.185 escolheram tal sentença). Ou seja, somente um montante de cerca de 8% dos jovens contam com alguma ressalva na elaboração dos pratos. “A juventude tem mais apreço por fast foods e ‘facilitadores’ nas refeições, como pizzas, doces, frituras ou massas de rápido preparo. Logo, a consciência maior no cuidado alimentar é identificado, com maior frequência, na fase adulta”, analisa Eva.




 
A especialista faz um alerta fundamental para o brasileiro entender o caráter imprescindível de se manter uma alimentação equilibrada, para colher bons frutos na vida acadêmica e profissional. “Independentemente da filosofia de vida, o ideal é buscar ajuda de um nutricionista para ter sempre o índice adequado de proteína, potássio, ferro e vitaminas, pois assim conseguirá acompanhar o ritmo forte exigido pelo mercado de trabalho e o meio acadêmico. Uma vez apresentada a importância de cuidar da saúde, Eva conclui: “Quando bem feita, a dieta pode resultar na força necessária para ter sucesso na carreira e finalizar, com excelência, a trajetória estudantil”.

Fonte: Nube

Valora esta noticia