26 de setembro de 2020
  • Gastronomia.com España
  • Gastronomia.com México
  • Gastronomia.com Perú
  • Gastronomia.com Colombia
  • Gastronomia.com Paraguay
  • Gastronomia.com Argentina
  • Gastronomia.com Ecuador
  • Gastronomia.com Portugal
  • Gastronomia.com USA
Siga-nos no  

3 de dezembro de 2015
Avaliação  (0)
Seu filho não come?
FacebookTwitterGoogle PlusLinkedin
Qual pai ou mãe nunca teve que lidar com a clássica cena do filho que resiste à comida, que torce o nariz para legumes e verduras, e que faz birra na hora das refeições? A alimentação infantil e suas questões fazem parte do cotidiano de todas as famílias com crianças pequenas. É extremamente importante lidar com este assunto pois ele é fator determinante para formação desses pequenos em adultos saudáveis.

Segundo pesquisas recentes do ENFAC, Estudo Nacional de Fortificação Complementar, realizado pelo Ministério da Saúde em parceria com a USP, só no Brasil, estima-se que 20% das crianças menores de cinco anos apresentam anemia, sendo maior a incidência em crianças menores de dois.




A dificuldade na absorção de nutrientes e a baixa oferta de vitaminas compromete o crescimento infantil, desenvolvimento intelectual e em casos mais extremos pode levar a morte. Portanto os pais devem ficar atentos a qualquer distúrbio alimentar apresentado pelo seus filhos, seja a falta de apetite, ou até mesmo o contrário, a gula.

Obesidade x Nutrição

É preciso desmistificar a ideia de que uma criança bem nutrida é aquela fofinha, acima do peso, mas tanto a magreza quanto o sobrepeso são sinais de alerta à desnutrição, afinal, quantidade não significa qualidade.

O excesso de alimentos processados, fast food e abuso do sal e do açúcar, faz com que a recusa por alimentos saudáveis e naturais seja ainda maior. A realidade atual é que poucos pais não tem consciência dos valores nutricionais dos alimentos que seus filhos ingerem no dia a dia.

Por mais que o cenário mais comum da desnutrição ocorra em ambientes de pobreza, com baixa oferta de alimentos, esta complicação não é exclusividade dos menos favorecidos. Algumas crianças também podem apresentar fatores patológicos para a dificuldade de absorção de nutrientes, ou até mesmo restrições alimentares devido alergias podem fazer com que a criança deixe de consumir importantes vitaminas.

Suplementação alimentar – o aliado da saúde infantil

A expectativa do Ministério da Saúde é que o problema de desnutrição apontado em estudo seja solucionado através da suplementação, visto que, de acordo com os especialistas envolvidos, os nutrientes adequados reduzem em 38% os casos de anemia e em 20% a deficiência de ferro.

A alimentação suplementar ajuda a combater carências nutricionais que muitas vezes não podem ser supridas apenas através da alimentação tradicional por problemas metabólicos ou de apetite. O suplemento infantil é uma forma de introduzir aqueles nutrientes presentes nos alimentos que geralmente as crianças recusam. Portanto esses produtos são fortes aliados para a introdução de novos hábitos alimentares.

Eles servem tanto para corrigir carências nutricionais, como para abrir o apetite, ajudar no crescimento, ganho ou manutenção do peso, entre outros benefícios provenientes da sua formulação específica.

Fonte: Nova Nutrii

Valora esta noticia